Remar. Re-amar. Amar ♥
Certa vez pedi que meu namorado, Thiago, escrevesse sobre mim, ele ficou confuso, e me disse que não saberia falar de mim sem usar da sua opinião, sem falar do seu ponto de vista apaixonado, sobre as minhas qualidades como pessoa, sobre tudo que o faz me amar.
Porém insisti, e pedi que ele tentasse mesmo assim...
Em seu texto humilde, sempre com ideias mal organizadas, porém sempre tentando se expressar o melhor possível, ele elogiou coisas que ninguém nunca havia reparado em mim, e algumas características tão evidentes que são visíveis a olhos nú, citou minha maturidade em função de minha idade, que não se compara a ninguém da minha idade, falou da minha confiança, da minha organização, capacidade de aconselhar as pessoas em qualquer situação, o meu visível espírito de liderança...
E também falou um pouco sobre os meus defeitos (ele diz sempre que não gosta de procurar defeitos em mim, que com o único olhar que tem perante mim, não vê defeitos, mas sempre ele acaba me criticando por isso ou aquilo), disse que eu me preocupo muito em ajudar as pessoas quando precisam, e não espero que me ajudem quando eu preciso, ou na verdade eu não permito que me ajudem, na verdade, não sei ao certo.
É, e sempre foi uma dificuldade minha abrir meus sentimentos para as pessoas, para que pudessem me ajudar, já fui muito criticada por ele por causa disso, mas eu tenho mudado, e ele reconhece isso, então isso talvez não seja um defeito.
Ele sempre fala as coisas pra mim, com um ar tão... verdadeiro, ele põe todos os sentimentos nas palavras que me dirige, aprecio-o por isso.
Minhas manias, tão específicas, minhas caras e bocas, o bico que eu faço com a boca quando tento parar de dar risada, é, ele elogia isso desde que nos conhecemos, a meu jeito meio estressada de ser, até a forma como sou teimosa quando ele diz pra eu fazer algo em nome do meu próprio bem, o faz me amar.
Não ligo se meus defeitos são muitos, maiores e mais significantes do que minhas qualidades, pois eu sei que assim, sou muito querida por todos que me circulam, e todos sabem muito bem quem eu sou, e sabem do meu jeito de ser, e só uma pessoa vem conseguido me mudar lentamente..

Pessoas grossas são mais interessantes do que pessoas simpáticas ou amigáveis. Geralmente tem uma ferida muito funda por baixo da grosseria. Ninguém é como é por quê quer; sempre tem um por quê e eu gosto de conhecer isso nas pessoas, os pontos baixos delas, mais do que os altos. Fora que, quando você conquista uma pessoa assim, ela te faz sentir especial. Ela trata todo mundo mal, mas contigo é diferente.

Vinícius Kretek.    (via palavrasdeumser)

Não é que eu seja anti-social, arrogante, ou que eu me ache superior, tudo isso é proteção, com o tempo você percebe que as pessoas te decepcionam, te magoam, te quebram de todas as maneiras possíveis e não estão nem ai pra isso, eu só estou me protegendo das pessoas, meu quarto é mais seguro, e o silêncio é mais confortável.

Felipe, Incorpora.   (via repouse)

— É de coração?
— Do fundo dele.

Up, altas aventuras.  (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

Sempre me senti diferente dos outros. Não mais bonita, não mais inteligente, não mais especial, não mais esperta, não mais maluca, não mais legal, apenas diferente. Sou diferente na forma de sentir, tudo que me toca, me toca fundo. Tudo que me alegra, me alegra muito. Tudo que me dói, dói forte, corta.

Tati Bernardi. (via repouse)

Quando falo, todo mundo acha que estou querendo aparecer, que sou ridícula quando fico quieta, insolente quando respondo, inteligente quando tenho uma boa ideia, preguiçosa quando estou cansada, egoísta quando como um pouquinho mais do que deveria, imbecil, covarde, calculista e outros adjetivos. O dia inteiro só ouço dizerem como sou uma criança irritante, e apesar de rir e fingir que não me importo, eu me importo, sim. Gostaria de pedir a Deus que me desse outra personalidade, uma que não criasse antagonismos com todo mundo. Mas isso é impossível. Estou presa ao caráter com o qual nasci e, mesmo assim, tenho certeza de que não sou má pessoa. Faço o máximo para agradar a todos, mais do que eles suspeitariam num milhão de anos.

O Diário de Anne Frank.   (via palavrasdeumser)

Querida Holly, eu não tenho muito tempo. Não digo literalmente, digo, você saiu pra comprar sorvete e logo estará de volta. Mas tenho um pressentimento de que seja a última carta. Pois só me resta uma coisa pra te dizer. Não é para que eu te lembre de comprar uma lâmpada, pode tomar conta de si mesma sem a minha ajuda. É pra te dizer o quanto mexeu comigo. O quanto me mudou. Você me transformou em um homem ao te amar, Holly… E por isso eu sou eternamente grato. Literalmente. Se puder me prometer algo, prometa-me que quando estiver triste ou insegura ou quando perder completamente a fé, você tentará ver a si mesma através dos meus olhos. Obrigado pela honra de ser minha esposa. Sou um homem sem arrependimentos. Um homem de sorte. Você foi a minha vida, Holly… mas sou apenas um capítulo na sua. Haverá mais. Eu prometo. Então aqui vai, o principal: Não tenha medo em se apaixonar novamente. Fique atenta para esse sinal quando a vida que você conhece terminar.

P.S Eu te amo.   (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

Ela me traz paz, e eu nem sei se ela sabe… Ela não deixa só o cheiro espalhado pela roupa e pelo quarto; deixa o sorriso estampado na cara e a alma tão leve que quase tenho que buscá-la no céu. Transforma o cinza em azul, ou qualquer coisa brega que dê para se entender. Ela me tumultua para me acalmar. Não sei se faço o mesmo por e com ela. Porque nunca naveguei em águas calmas e meus olhos são cheios de mistérios, aflições e tenho esse meu ar meio melancólico. Mas mal sabe ela que sou feliz, porque deitar ali um segundo só já é sonhar, porque ouvir a sua respiração pertinho da minha recupera qualquer fôlego. Sou feliz por agora escrever pieguices e não querer de forma alguma apagar cada palavra. Meu romantismo antes vagabundo agora é todo dela, e eu acho que ela nem gosta dessas coisas. Eu também não gosto. É que ela é ela, ela acerta o tom, a medida exata da paz. E tudo bem, lá fora todos estão se matando, até a polícia resolveu matar. Mesmo em tempos de guerra, ela só me dá vontade de falar em paz… E dizem por aí que estar apaixonado é estar alienado.

Camila Costa.     (via palavrasdeumser)
Caralho filha, você só sabe falar palavrão? Puta que pariu cadê a educação que eu te dei?

Foi aí que percebi que queria ele comigo naquela noite e talvez pelo restante das outras noites.

Honestly? Love you.  (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

Acho que o meu jeito, meu jeito mesmo, eu nunca mudei desde pequeno. Sou o mesmo sem tirar e nem por, de quando tinha 5 anos. Vou ser lembrado sempre como aquele menino loirinho, alto e meio gordinho, falando sozinho e sempre com um sorriso no rosto. Tem coisas que não mudam com o tempo, são características nossas e isso é incrível, pois é isso que nos diferencia dos demais. Mas acho que no fundo é isso que realmente importa, porque não são os nossos anos que definem a nossa metragem da vida e sim as nossas lembranças e momentos vividos. Caso eu chegue um dia ao fim dessa vida sendo a mesma pessoa, passando essa mesma imagem e com esse mesmo jeito, eu vou saber que tudo que eu fiz valeu a pena, pois vou ter a certeza que o mais importante eu nunca perdi, que foi o meu carácter.

O Pequeno Bob.    (via repouse)
THEME